INTRODUÇÃO

O IAAC, Instituto de Arquitetura Avançada da Catalunha, juntamente com a Plataforma Redes | Palavras Cruzadas de Iberoamérica, decidiram lançar um mestrado online sobre cidades.

O Mestrado Online em Cidades: O Urbanismo Próximo (MOeC), destina-se a profissionais iberoamericanos formados em disciplinas tais como arquitetura, planejamento urbano, ciências sociais, biologia, ecologia, engenharias, informática ou economia, entre outras.

O Mestrado Online concentra-se em questões que representam os grandes desafios contemporâneos em torno do conceito de cidade como o mais complexo sistema dinâmico de intercâmbio e interação inventado pela Humanidade.

Próximo prazo de inscrição – 30 de Junho de 2022.

Acesse o formulário de inscrição

A quem se dirige?

O Mestrado Online em Cidades (MOeC), é um mestrado de 1 ano concebido para profissionais que procuram obter certificações na esfera de Planejamento e Desenho Urbano, mas que requerem um horário flexível para conciliar compromissos profissionais e pessoais. 

Também é para quem procura um título alternativo e acessível. Tanto para um recém graduado universitário como para um profissional experiente que busca atualizar as suas competências e habilidades com os conhecimentos mais atuais, o mestrado oferece valor em qualquer etapa da sua carreira.

Ensino à distância para profissionais que trabalham.

Este mestrado está especialmente dirigido aos profissionais que buscam um mestrado em Cidades e Urbanismo, sem a necessidade de viajar ou deslocar-se para o exterior. Oferece ensino à distância por especialistas em Arquitetura, Urbanismo, Sociologia, Ecologia ou Economia, liderado por professores do IAAC e por um elenco de profissionais transdisciplinares líderes no setor.

Com o MOeC, podem alcançar uma educação de ponta sem interromper o seu horário de trabalho ou a sua vida cotidiana. É concebido academicamente como um espaço de formação e atualização, compatível com a vida profissional e familiar de um estudante latino americano, espanhol ou português, de qualquer idade, que resida em seus países de origem ou em qualquer parte do mundo.

Aprendizagem flexível, acessível e certificada:

O programa acadêmico do IAAC será desenvolvido completamente online, podendo assistir às aulas tanto de forma direta como de forma diferida. Isto faz que o curso seja mais acessível do que um programa de mestrado tradicional, dando oportunidade de acesso a mais pessoas a uma formação de excelência.

Todas as aulas são gravadas e guardadas, de modo que os alunos poderão estudar e enviar trabalhos seguindo seu próprio horário.

O Mestrado se organiza em três áreas específicas ou módulos de conhecimento, chamados cidades:

  • CIDADE 1, Ecologia e Mudanças Climáticas
  • CIDADE 2: Inovação e Economia Circular
  • CIDADE 3: Cidade e Cidadãos

Três módulos que tratarão, primeiro das disciplinas dos fenômenos urbanos, especialmente aqueles que têm a ver com a luta contra as mudanças climáticas, o segundo com os que representam um diálogo multidisciplinar centrado na cidade, com especial interesse no modelo de economia circular e no impacto tecnológico, e finalmente o terceiro com as novas exigências sobre o espaço social a que se destinam: um novo pacto entre a cidade e os seus cidadãos para um desenvolvimento urbano sustentável, inclusivo e de progresso.

Em cada um deles serão desenvolvidas as temáticas específicas, através de uma extensa lista de professores convidados, entre os quais contamos com prestigiados profissionais de distintas gerações e disciplinas, desde o Urbanismo Ecossistêmico aos Dados em Tempo Real, desde a Indústria 4.0 até os Fab-labs, e desde a cidade inclusiva até a cidade próxima. Cada curso aborda conteúdos teóricos e práticos, e também contempla cursos em ferramentas digitais que permitirão aos estudantes aplicar tecnologia avançada em cada um dos seus projetos.

Os três módulos terão a sua própria Oficina de Projeto:

Onde explorar em práticas e ideias as possibilidades e futuros das distintas visões, aplicadas de uma forma particular a cada estudo de caso local.

O conjunto de créditos é completado por uma OFICINA DE TESE especialmente desenhada para ajudar os alunos a formalizar as suas estratégias e visões em verdadeiras prospecções filosóficas, técnicas e políticas, finalmente projetuais, em um momento crucial para as cidades iberoamericanas.

Este conjunto de visões únicas, as teses de cada aluno, participarão no final do Mestrado de um Congresso Presencial em Barcelona, o II Summit REDES – O Urbanismo Próximo, para expor, debater e partilhar com profissionais de destaque convidados para esta ocasião.

Finalmente todo o Mestrado terá acesso a uma série temática de palestras, colóquios e diálogos ao longo do curso: o Fórum Redes, que acompanhará cada módulo com distintas conferências de profissionais de excelência dentro da ampla geografia cultural em língua espanhola e portuguesa.

O Mestrado Online em Cidades: O Urbanismo Próximo terá a duração de 1 ano, e tem agendada a sua conferência inaugural na sexta-feira 2 de Setembro de 2022.

Contato: Coordenação Geral – [email protected]

O Mestrado Online em Cidades: O Urbanismo Próximo é um projeto IaaC-Redes

MESTRADO ONLINE EM CIDADES: O URBANISMO PRÓXIMO
Edição 2ª Edição
Título Mestrado em Cidades
Diretores Salvador Rueda, Ariadna Cantis, Manuel Gausa, Willy Müller
Créditos 60 ECTS*
Duração 11 meses, de setembro de 2022 a julho de 2023 – Dedicação em meio período
Idioma Espanhol
Preço  5800 €
Admissão Graduado em Arquitetura, Urbanismo, Ciências Sociais, Biologia, Ecologia, Engenharia, Informática, Economia e outras disciplinas afins.

PROJETOS DE ESTUDANTES

FORMATO DO PROGRAMA

MESTRADO ONLINE EM CIDADES: O Urbanismo Próximo

Requer a conclusão de 3 módulos + Tese de Mestrado
Créditos: 60 ECTS*
Duração: 11 meses – Setembro 2022 – Julho 2023
Idioma: espanhol – língua oficial – e português – língua aceita
Formato: Online

 

OPÇÃO DE ACREDITAÇÃO DUPLA

O Mestrado está atualmente desenvolvendo acordos com Instituições Acadêmicas Ibero-Americanas, a fim de promover futuras duplas titulações.


 

MÓDULO 1: Ecologia e Mudanças Climáticas

Créditos: 15 ECTS
Duração: 3 meses / Setembro 2022 – Dezembro 2022
Formato: Online


 

MÓDULO 2: Inovação e Economia Circular
Créditos: 15 ECTS
Duração: 3 meses / Dezembro 2022 – Fevereiro 2023
Formato: Online


 

MÓDULO 3: Cidade e Cidadãos
Créditos: 15 ECTS
Duração: 3 meses / Março 2023 – Maio 2023
Formato: Online


 

MÓDULO 4: TESE DE MESTRADO
Créditos: 15 ECTS
Duração: 2 meses / Junho 2023 – Julho 2023
Formato: Online



FÓRUM REDES: Ciclo de palestras, colóquios e diálogos sobre os temas de cada módulo com convidados especiais e pessoal docente.
Duração: O curso inteiro, de Setembro de 2022 a Julho de 2023.

 

II Summit REDES – O Urbanismo Próximo.
Julho 2023 / Apresentação das Teses, exposições e palestras.
* datas a confirmar

PROGRAMA ACADÉMICO

MÓDULO 1: Ecologia e Mudanças Climáticas
1-1 Urbanismo Ecossistêmico
1-2 Indicadores do Urbanismo Ecossistêmico
1-3 Dados: a Velocidade do Urbanismo
1-4 Ecossistema Urbano
1-5 Léxico para o Urbanismo Próximo
1-6 Oficina de Projetos 1

MÓDULO 2: Inovação e Economia Circular
2-1 Inovação Pública
2-2 A Economia Azul
2-3 Mapas Dinâmicos
2-4 SuperNaturezas
2-5 Tropicalismo
2-6 Economias Emergentes em Bio-Regiões Produtivas
2-7 Oficina de Projetos 2

MÓDULO 3: Cidade e Cidadãos
3-1 A Cidade dos Cuidados
3-2 Cartografias Sociais
3-3 Território e Geohumanidades
3-4 Vizinhanças
3-5 Amazônia Urbana
3-6 Da Cidade Intermédia à Cidade dos Intermediários
3-7 Oficina de Projetos 3

MÓDULO 4: TESE DE MESTRADO
4-1 Xenologia e Cidade
4-2 Protopias Urbanas
4-3 Equidade Ambiental
4-4 Workshop de Lançamento
4-5 Tese de Mestrado

FÓRUM REDES: de Setembro 2022 a Julho 2023.

O Mestrado é complementado por uma série de conversas, palestras, conferências e debates com convidados acadêmicos de renome internacional, especialistas e emergentes, ligando o pensamento e a prática com a história das ideias e as condições sócio-culturais em mudança do contexto contemporâneo, abordando os diferentes tópicos de estudo em cada módulo e abrindo o foco a outros conteúdos menos esperados.

MÓDULOS DETALHADOS

MÓDULO 1: Ecologia e Mudanças Climáticas

O primeiro módulo é direcionado ao estudo das mudanças climáticas e da ecologia nos ambientes urbanos, uma temática que constitui um dos paradigmas mais relevantes e urgentes deste século. Ao longo deste módulo, os estudantes receberão os conhecimentos mais avançados sobre urbanismo ecossistêmico, entornos urbanos e seus ecossistemas, abrangendo desde os fundamentos teóricos até ao estudo de exemplos práticos implementados com sucesso em algumas cidades contemporâneas. Serão estudados indicadores urbanos, utilizando ferramentas digitais avançadas para análise e avaliação aplicadas a casos de estudos específicos.

A Oficina de Projetos permitirá a aplicação prática dos conhecimentos adquiridos nos cursos teóricos, e se utilizarão ferramentas digitais avançadas para a análise, avaliação e formulação de propostas urbanas aplicadas a casos de estudo em contextos e realidades específicas, onde os estudantes poderão propor soluções inovadoras para as cidades do século XXI capazes de responder aos desafios das mudanças climáticas.

Este módulo é composto pelos seguintes cursos:

1-1 Urbanismo Ecossistêmico:

O Urbanismo Ecossistêmico consiste em integrar modelos urbanos alternativos em torno da morfologia, funcionalidade, mobilidade e energia para melhorar as condições de habitabilidade no espaço público, a fim de alcançar cidades mais sustentáveis. Este curso introdutório explora os fundamentos teóricos do urbanismo ecossistêmico, baseado em eixos e princípios fundamentais, com base na experiência e investigação do Professor Salvador Rueda, convidado neste Mestrado, incluindo a renaturalização urbana, a malha urbana ortogonal e a teoria das superquadras como novos modelos urbanos.

1-2    Indicadores do Urbanismo Ecossistêmico

O urbanismo ecossistêmico representa a formulação de um novo urbanismo, com fundamentos ecológicos, que promove um modelo de cidade mais sustentável na era da informação e do conhecimento. Este modelo baseia-se em quinze princípios básicos, e é aplicado através de ferramentas adaptáveis e flexíveis ao dinamismo e contexto de cada território. O sistema de indicadores que caracteriza este novo urbanismo permite acompanhar e avaliar propostas de desenvolvimento e de reciclagem urbana. O sistema de indicadores que será apresentado neste curso representa o conjunto de limitadores que numericamente compõem as regras do jogo: formular cidades compactas, complexas, metabolicamente eficientes e socialmente coesas, determinando com o máximo rigor os objetivos e valores de referência de cada um dos indicadores.

1-3    Dados: a Velocidade do Urbanismo

Este curso aborda várias questões: o território, as suas utilizações e exploração estão diluindo os limites estabelecidos pelo planejamento “Fordistaˮ da era industrial, e colocam novos desafios ao legislador e ao planejamento. As novas formas de organização da sociedade e das empresas levarão a um dinamismo no território que transformará a forma e a rapidez com que as suas utilizações são implementadas. O acompanhamento contínuo destas mudanças deve ser introduzido no planejamento dinâmico para que se possa adaptar rapidamente a estas mudanças.

Os avanços na tecnologia digital diluem as fronteiras entre as esferas virtual e física. A “plataformizaçãoˮ da economia exige que o valor da coesão social seja abordado tanto do ponto de vista do residente temporário como do residente permanente. Mas, ao mesmo tempo, a velocidade, o volume e a diversidade da informação gerada pelas nossas sociedades tornam-se matérias-primas indispensáveis para lidar com e gerir este novo tempo.

1-4    Ecossistema Urbano

Com mais da metade da população mundial vivendo em zonas urbanas, é evidente que não existe uma solução única para os desafios ambientais, sociais ou econômicos. A cidade deve ser abordada holisticamente, não exclusivamente de um ponto de vista físico e da sua dimensão estática (infraestruturas, edifícios, materiais, geometrias, etc.), mas através da compreensão dos processos, relações, padrões, ligações e interações que ocorrem. Este curso aborda os desafios urbanos com um enfoque centrado em três pilares que consideramos fundamentais: componente ambiental, componente social, e componente digital.

1-5  Léxico para o Urbanismo Próximo

As lógicas do desenho arquitetônico e planejamento urbano estão continuamente adaptando-se ao contexto em que operam. Precisamos de um léxico que articule as relações entre os fenômenos mais significativos que afetam a nossa sociedade e as soluções que estão sendo fornecidas a nível global. Uma nova formulação de conceitos ilustrados e fundamentados, a serem utilizados como forma de repensar e apresentar outras lógicas espaciais, funcionais, profissionais, sociais e culturais, orientadas para uma concepção ampla da arquitetura e, consequentemente, da cidade. O curso reúne as definições de um léxico atualizado para o urbanismo do futuro próximo, ilustrado com estudos de caso e embasado em referências bibliográficas e testemunhos em primeira mão de autores e designers que abordam práticas inovadoras. Este exercício coletivo servirá também para formular as questões apropriadas para reorientar tais transformações da disciplina urbana e arquitetônica, e os seus princípios teóricos.

1-6    Oficina de Projetos 1

O programa desta primeira Oficina de Projeto se baseia num diagnóstico inicial do ponto de vista mais disciplinar – visto da perspectiva do urbanismo como uma disciplina unificadora – de uma área determinada por cada aluno, um caso local, que será o fio condutor de todo o mestrado e terminará com a sua Tese. O primeiro módulo propõe uma abordagem conceitual e projetiva para cada área particular de estudo, aplicando os princípios do Urbanismo Ecossistêmico, com o apoio de toda a teoria dos indicadores e dados. Trabalharemos sob a forma de análise crítica, elaborando hipóteses iniciais em cada caso, a serem desenvolvidas e expandidas em cada módulo seguinte. Vamos aplicar a matriz desenvolvida no IaaC sobre metabolismo urbano, que define as seguintes camadas: INFORMAÇÃO – ÁGUA – ENERGIA – MATÉRIA – MOBILIDADE – NATUREZA. Vamos desenvolver uma matriz de projeto para cada camada na área de escolha, estudando o seu comportamento ou dificuldades, aplicando sinteticamente a teoria dos indicadores e ao mesmo tempo medindo a sua capacidade de transformação, de acordo com as propostas que cada estudante formulará, com base nos princípios do urbanismo ecossistêmico e a sua própria visão do assunto.

MÓDULO 2: Inovação e Economia Circular

Este módulo centra-se no estudo da inovação nas cidades contemporâneas, e na aplicação de princípios teóricos em torno da inovação e da cidade produtiva, o que nos aproximará da FAB-CITY e da Fabricação Industrial 4.0.

Estudaremos também como evoluir da economia azul para a economia da felicidade, e exploraremos de forma complementar como passar de índices para dados em tempo real para o estudo de fenômenos urbanos utilizando ferramentas computacionais, e abordaremos questões aplicadas a casos específicos na Oficina de projetos.

Este módulo integra os seguintes cursos:

2-1    Inovação Pública

A matéria Inovação Pública tem como objetivo traçar uma linha convergente entre a cidade e a inovação. O propósito é reunir duas perspectivas: a cidade como um espaço econômico que avança graças, em parte, à inovação, e a inovação como uma forma de política pública que afeta a cidade. Inovação pública porque ela tem um impacto na esfera pública. A cidade e a inovação têm um espaço além do perímetro privado. A inovação pública finalmente dá uma perspectiva sobre metodologias de inovação que podem ser úteis para pensar sobre a cidade.

2-2    A Economia Azul

Curso que explora a teoria da “Economia Azul” de Gunter Pauli, para abordar um problema de grande proporção a nível mundial, que visa mudar a forma como entendemos o ambiente, a agricultura, a manufatura, os resíduos, entre muitas outras questões. Este conceito holístico e inovador propõe uma abordagem que investiga os ecossistemas naturais para serem eficientes na produção de bens e serviços, através de uma responsabilidade partilhada, em respeito pelas gerações futuras em um círculo de desenvolvimento sustentável com o planeta, propondo uma forma de redesenhar todo o nosso modo de vida e de o conduzir à semelhança da natureza, com o objetivo final de que os seus cidadãos possam alcançar a felicidade.

2-3    Mapas Dinâmicos

A realidade está viva, e com ela, os dados que em sua simplicidade a representam. Entretanto, grande parte do uso de dados, especialmente dados espaciais, resulta em representações gráficas estáticas que são incapazes de serem atualizadas e manipuladas pelo usuário. No contexto da gestão da cidade, o uso e a representação de dados desempenha um papel crucial tanto na tomada de decisões a curto prazo quanto nas estratégias a longo prazo, focalizadas na solução de problemas como a mudança climática, a resiliência ou a injustiça social. Superando os dogmas de “Dados vão para o PDF para morrer” e “Uma vez impresso, é obsoleto”, este curso se concentra em explorar o uso de dados dinâmicos (não estáticos) e representações no contexto da resiliência urbana e adaptação à mudança climática, tomando como ponto de partida aplicações e técnicas desenvolvidas por outras instituições.

2-4   SuperNaturezas

O curso SuperNaturezas explora a operacionalidade da disciplina da paisagem em sua capacidade de enfrentar a oportunidade representada pelo urbanismo contemporâneo, revelando estratégias formais-organizacionais de transformação territorial. Desde o estudo dos modelos arquitetônicos da paisagem urbana até sua implantação em escala maciça, onde o congestionamento extremo, a coexistência de redes de infra-estrutura/produção e até conceitos geopolíticos são apresentados e projetados com um alto grau de oportunismo e especulação. Mecanismos e projetos geram novos territórios onde a ação antrópica do homem tenta mediar com a dinâmica natural em constante mudança. O objetivo principal da pesquisa aqui apresentada é também a articulação dos diferentes níveis de pensamento que cruzam transversalmente a disciplina da paisagem, reconhecendo as especificidades de uma determinada área a ser estudada, seu suporte físico-ambiental e sua cultura, e a partir disso o desenvolvimento de propostas na forma de sistemas operacionais onde a paisagem é apresentada como uma alternativa à construção do território.

2-5    Tropicalismo

Com suas origens na arquitetura latino-americana, a ideia geral do Tropicalismo, a de construir espaços generosos, “entre condições”, difíceis de controlar, mas abertos a diferentes ocupações e usos sem perder sua identidade espacial, foi diluída como base teórica e influência global. Já nos desenvolvimentos estéticos e espaciais subseqüentes, esta forma de entender a arquitetura foi confinada a um espaço residual para as práticas contemporâneas, que optaram em grande parte por abraçar visões e discursos ou posições mais fenomenológicas que enfatizam seu compromisso social sobre os debates disciplinares. O objetivo deste curso é precisamente pegar o fio onde ele foi deixado solto e, a partir de uma estrutura dupla de teoria e um olhar sobre as práticas relevantes, retomar essas questões, revisitando-as a partir do presente.

2-6    Economias Emergentes em Bio-Regiões Produtivas

As cidades são responsáveis pela maioria das emissões de CO2, e também abrigam a maior população do planeta. Estes impactos continuarão a aumentar, portanto é necessário imaginar e colocar em prática um modelo econômico da cidade que seja regenerativo com os sistemas dos quais depende; que permita a diversidade cultural em relação à geração e circulação de valor em escala local; que contenha em seus princípios a lógica de cuidado entre todos os sistemas naturais que interagem na cidade, incluindo as pessoas dentro deles; e que permita a integração de tecnologias a serviço das referidas formas de vida que interagem na cidade e suas bio-regiões, e não o contrário. A iniciativa global Fab City, nascida entre Barcelona e Boston, toma tudo isso como ponto de partida para estabelecer um modelo no qual os átomos parem de viajar milhares de quilômetros para alcançar nossas mãos e estômagos e, em vez disso, continuem circulando em escala local, e que os bits de informação são os que percorrem milhares de quilômetros ao redor do planeta, graças à revolução digital em computação, comunicações (Internet) e manufatura como infra-estrutura chave para desenvolver, nas próximas décadas, um modelo urbano focado no desenvolvimento de cidades e bio-regiões produtivas.

2-7    Oficina de Projetos 2

A condição das cidades latino-americanas em termos de seu frágil equilíbrio com seu próprio ambiente, bem como as economias voltadas para a industrialização, deixou o campo para trás por décadas e forçou a migração para as cidades sob diversas condições. Estas condições promoveram o crescimento de grandes extensões de terra, tanto informal como formalmente. As condições econômicas e teorias do século 20 estão enfrentando novos paradigmas, e agora entendemos que os recursos naturais são finitos e que a concentração da população nos centros urbanos será cada vez mais pontual. Propomos o desenvolvimento dos projetos de cada estudante sob três premissas: Economia Circular, baseada na teoria da Economia de Doughnut (Kate Raworth); Escala, baseada nos princípios de uma Cidade para as Pessoas (Jan Gehl); e Habitação, como um gatilho sócio-econômico que pode permitir um maior dinamismo dentro do espaço urbano.

MÓDULO 3: Cidade e cidadãos

Este módulo centra-se no estudo da cidade em torno dos seus cidadãos, entendendo a cidade como uma plataforma participativa e multidimensional. Conceitos inovadores são estudados dentro de uma visão integradora da cidade dos cuidados, aplicando princípios de equidade e diversidade. As propostas inovadoras para uma cidade próxima dos seus cidadãos serão formuladas na Oficina de Projetos.

Os cursos seguintes integram este Módulo:

3-1    A Cidade dos Cuidados

Este curso explora as dimensões subjetivas, multidimensionais e biológicas das cidades, propondo uma visão integradora do meio ambiente, da economia e da sociedade. Vários modelos arquitetônicos e urbanísticos de cidades serão estudados a fim de abrir um amplo campo de alternativas e oportunidades para o projeto, uso e governança das cidades do futuro, com o objetivo de cuidar de seus habitantes.

3-2    Cartografias Sociais

Este curso apresenta múltiplos projetos que cobrem um amplo espectro, tanto no tipo de dados que utilizam como na forma em que são representados. Através destas apresentações discutiremos os diferentes aspectos da prática cartográfica moderna: da aquisição de dados de redes sociais à construção de mapas e narrativas interativas, do processamento e estudo de imagens de satélite à análise estatística dos dados de transporte, sempre destacando os aspectos críticos de uma prática rigorosa.

3-3    Território e Geohumanidades

O objetivo deste curso é ler e compreender o território sob uma perspectiva geohumanista, com o desejo de conhecer, identificar e imaginar a gama existente e potencial de agentes transformadores de lugar nos tempos contemporâneos. De uma perspectiva conceitual, as noções de geohumanidades e paisagens criativas serão introduzidas e complementadas com exemplos de práticas e métodos de transformação de lugares, para fins sociais, de pesquisa ou artísticos. O objetivo é abrir o imaginário e a sensibilidade à agência transformadora do espaço através da capilaridade de realidades e legados no território, como resultado do palimpsesto temporal, bem como do envolvimento social e comunitário na reconceituação crítica dos lugares.

3-4    Vizinhanças

Este curso irá explorar aspectos relacionados à cidadania em suas múltiplas dimensões (social, cultural, coletiva) para que os cidadãos possam eventualmente compreender e exercer melhor seus direitos de participação, intercâmbio, cultura, lazer e entretenimento, expressão e demonstração, movimento e o direito a um ambiente saudável. O encontro é um convite para refletir sobre o futuro da arquitetura, design e cidades pós-pandêmicas, explorando as cadeias de produção, periferias, novas infra-estruturas e arquitetura doméstica que surgiram após o coronavírus.

3-5    Amazônia Urbana

Este curso visa oferecer aos alunos uma visão panorâmica da história urbana na Amazônia sul-americana. Partindo dos problemas atuais de uma geografia complexa onde convergem interesses diversos e conflitantes, faremos uma viagem no tempo para visitar o urbanismo das grandes constelações agro-ecológicas do Beni, na Bolívia; o Alto Xingu, no Brasil; o coração da domesticação do cacau no sudeste do Equador e nordeste do Peru; e os grandes complexos das culturas Marajoara e Omagua na grande Amazônia e seus afluentes. Acompanharemos os jesuítas em sua obsessão por reduzir as populações dispersas de cada constelação em matrizes que possam ser lidas à noção de ordem de Roma, do Vaticano e de Castela. Estudaremos fundações urbanas inicialmente configuradas de acordo com as Leis das Índias, tais como Santa Cruz de la Sierra na Bolívia. Entraremos na selva ao longo das estradas da modernização e estudaremos a série de projetos que constituem o “cemitério do planejamento” em uma região repleta de ruínas modernas. Finalmente, analisaremos a profunda relação entre o extrativismo e o processo contemporâneo de urbanização em uma das regiões com a maior taxa de crescimento urbano do planeta.

3-6    Da Cidade Intermédia à Cidade dos Intermediários

Este curso visa reunir conceitos complementares que fortaleçam a capacidade dos alunos de compreender a necessidade de um bom governo local. Abrangerá desde políticas urbanas até soluções contemporâneas de participação social, explorando o papel do Estado em conjunto com a iniciativa privada, novos modelos de financiamento e destacando o principal ator urbano: “O Cidadão Intermediário”.

3-7    Oficina de Projetos 3

Cada projeto é um exercício de gestão estratégica abrangente que inclui sistematicamente 6 categorias fundamentais que estamos interessados em estudar, levando em conta a diversidade de cada lugar e características e identidades locais: gestão ambiental, gestão de materiais, gestão tecnológica, gestão financeira, gestão interinstitucional e, finalmente, gestão social. Durante o módulo, exploraremos as infra-estruturas coletivas analisando em detalhes como elas permanecem autônomas e independentes, assim como as forças que impulsionam e determinam sua execução. Exploraremos as complexidades dos instrumentos democráticos que fundamentam a tomada de decisões, a gestão de recursos e a horizontalidade nos modelos de microeconomia. Analisaremos projetos que implementam formas de reengenharia urbana cooperativa, promovendo processos de governança em rede em pequena escala.

MÓDULO 4: TESE DE MESTRADO

Este módulo final é organizado com um primeiro workshop de introdução à tese, apoiado por dois cursos, um sobre teoria e história, e outro sobre teoria e crítica, que servirá como apoio direto para o desenvolvimento da tese de mestrado.

4-1    Xenologia e Cidade

Seminário que sugere que o conceito de Xenologia, em seu duplo significado de xenos (estranho) e xenia (pacto de hospitalidade), pode ser um ponto de apoio e referência capaz de oferecer formas e meios de viver juntos, independentemente dos agentes biológicos, algorítmicos ou geológicos que o termo “juntos” possa aqui invocar. Tal orientação será explorada em relação ao conceito de cidade, entendida na estrutura multiespecífica característica do século XXI. O conteúdo do seminário não será apresentado em uma série de palestras, mas sim explorado individualmente à luz da tese que cada estudante está preparando em relação ao seu projeto. Este método garantirá que o conteúdo não seja meramente apresentado ou projetado de forma unidirecional, mas sim favorecendo sua “circulação” através da paisagem conceitual que cada estudante está construindo em sua tese.

4-2    Protopias Urbanas

O curso aborda o conceito de “protopia” formulado por Kevin Kelly (diretor da prestigiosa revista Wired), que se refere ao processo de mudança contínua e acelerada provocado pelos gigantescos avanços da tecnologia, que estão caminhando para uma utopia em estado de constante transformação e mudança. Baseado neste postulado, este curso explora os fundamentos do urbanismo contemporâneo e sua relação com a tecnologia através do estudo das referências teóricas, operacionais e práticas mais significativas da história recente do urbanismo e da arquitetura. Com o objetivo de posicionar uma tese de mestrado, este curso trata dos princípios básicos, estrutura e design de uma pesquisa acadêmica. Cada estudante poderá aplicar estes conteúdos à sua própria proposta, desde a formulação do(s) problema(s), o estudo de referências, o estudo de questão(ões), a hipótese de trabalho com suas variáveis/relações/condições, os experimentos ou projetos e as conclusões finais.

4-3    Equidade Ambiental

Após anos caracterizados pela construção de cidades em detrimento do meio ambiente natural, este módulo pergunta como o planejamento urbano pode ser um motor de equidade ambiental: É possível alcançar cidades que geram relações simbióticas com o meio ambiente natural? É possível renaturalizar cidades para reduzir suas pegadas ambientais negativas e interdependências? É possível gerar cidades produtivas que contrariam seu papel como centros de consumo? Através de conversas com arquitetos, urbanistas e economistas de referência na região, além de revisões das teses de cada estudante, este módulo abordará estas questões sob a premissa de alcançar cidades equitativas não somente do ponto de vista social, mas também do ponto de vista ambiental, como pré-requisito para cidades verdadeiramente sustentáveis.

4-4    Workshop de Lançamento

Este curso consiste em uma introdução para as teses dos alunos, como um primeiro passo para transformar os projetos que estão desenvolvendo ao longo do ano em teses finais de mestrado. Estuda abordagens in & out, exo & endo, eco & info, para novos fatores <RE> de reciclagem urbana e renaturalização e reconexão territorial, de recuperação ambiental e reimpulso social, de reconhecimento global e re-informação local, que buscam ser reconhecidos – e mapeados – neste curso.

4-5    Tese de Mestrado

A tese representa a conclusão dos estudos de mestrado, através do desenvolvimento de um tema de investigação de interesse de cada estudante, com o apoio direto de um tutor especializado.

As primeiras abordagens permitem avançar este estudo através das Oficinas de Projeto 1, 2 e 3, que incorporam os temas das alterações climáticas, economia circular e novos cenários sociais. A Tese de Mestrado, finalmente, ajudará a elaborar uma síntese de projeto entre os resultados de cada Oficina, com os principais argumentos em cada caso, com base em uma constante troca de ideias com os tutores.

As Teses de Mestrado constituem um conjunto de visões únicas da cidade, que farão parte de um congresso presencial em Barcelona no final do Mestrado, o II Summit REDES – O Urbanismo Próximo.

FÓRUM REDES

Durante o desenvolvimento do programa, os estudantes terão acesso a uma série temática de conferências, colóquios e diálogos: o Fórum Redes, dirigido e moderado pelos diretores da Plataforma Redes, Ariadna Cantis e Willy Müller, que acompanhará cada módulo com várias palestras de profissionais de excelência dentro da ampla geografia cultural da língua espanhola e portuguesa.

#meio ambiente
REPENSAR O ESPAÇO PÚBLICO

#governança
A NOVA GOVERNANÇA

#saúde #igualdade social
A CIDADE DOS CUIDADOS

#além da arquitetura
ARTE E CIDADE

#genero
GÊNERO E CIDADE

#comunicação
COMUNICAR URBANISMO-COMUNICAÇÃO DA CIDADE

PERFIL DO ESTUDANTE

O Mestrado Online em Cidades: O Urbanismo Próximo, é dirigido a profissionais ibero-americanos formados em disciplinas como arquitetura, urbanismo, ciências sociais, biologia, ecologia, engenharia, informática ou economia, entre outras.

O Mestrado Online enfoca em temas que representam os grandes desafios contemporâneos de nosso tempo em torno do conceito da própria cidade como o mais complexo sistema dinâmico de intercâmbio e interação inventado pela humanidade.

UNIVERSIDADES ASSOCIADAS

Temos o prazer e orgulho de contar com distintas universidades latino-americanas associadas, que apoiam o programa e trabalham com a gente para proporcionar mais possibilidades a nossos estudantes em seus países de origem ou países próximos.

CORPO DOCENTE

Equipe de direção:

Ariadna Cantís, Salvador Rueda, Manuel Gausa y Willy Müller.

Direção acadêmica: Maite Bravo

Comitê Científico + Plataforma Redes (corpo docente)
Xavier Marcet, Vicente Guallart, Areti Markopoulou, José Mª Ezquiaga, Gunter Pauli, Belinda Tato, Jose Luis Vallejo, Tomás Diez, Izaskun Chinchilla, Luis Falcón, Javier Peña, Rodrigo Langarica, Ricardo Devesa, Alejandro Haiek, Jordi Vivaldi , Florencia Rodríguez, Camilo Restrepo, Ana Mª Durán, Adela Rangel, Carlos Cefis, Danielle Nina, Dominique Mashini, Francisco Villeda, Pedro Moraes, Marina Mazzamuto, Irina Urriola, Juan Pablo Porta, Nicolás Valencia, Berta Cormensana, Rodrigo Vargas,  Pablo Herreros, Claudia Tomateo, Juan Francisco Saldariaga, Alejandra Diaz, Michel Rojkind, Daniel Ibáñez,Tiago Holzman, Fabio Capra, Raul Arteca, Pola Mora, Aurora Adalid.

Coordenação: Laura Guimarães

Direção da arte: Irina Urriola

Comunicação: Equipe Iaac/ Nicolas Rodriguez.

ALGUMAS PALAVRAS DE DIRETORES E PROFESSORES

Urban Sciences Lab Director / MOeC Co-Director / MAA, MaCT Seminar Faculty / X-Urban Design Studio Leader / Board of Trustees Member

View details

Urban Sciences Lab / MOeC Co-Director

View details
Manuel Gausa

MOeC Co-Director / MAA, MaCT Faculty / Advanced Theory Director / PhD Supervisor

View details
IAAC Faculty

MOeC Academic Director / MaCAD Faculty / Researcher Urban Sciences Lab

View details

MOeC Coordinator / Urban Sciences Lab Coordinator

View details
Jordi Vivaldi

MOeC, MAA, MaCT Faculty / Researcher Urban Sciences Lab

View details

Board of Trustees Member / MOeC Faculty

View details
Javier Peña Galiano

MAA Senior Faculty / MOeC Faculty

View details
Tomas Diez

Fab City Global Instigator / MDEF Director / Board of Trustees Member / MaCT Theory Guest Faculty

View details
Ricardo Devesa

MAA Senior Faculty / Theory and Advanced Knowledge / Actar Publishers & urbanNext.net / MOeC Faculty

View details
Luis Falcón

MaCT Studio Faculty / MOeC Faculty

View details

Outros Professoress:

Alejandra Diaz

Berta Cormensana 

Claudia Tomateo

Javier Peña Ibañez

Marina Mazzamuto

Pablo Herreros

Pedro Moraes

Rodrigo Vargas

Rosa Cerarols

Tomas Vivanco